22
Out

Os estudantes deficientes visuais em Angola vão dispor de novos serviços de apoio, como a produção de livros em Braille, sistemas de leitura áudio e equipamento para ampliação de caracteres gráficos.


A iniciativa foi tomada pela empresa ElectroSertec, com a aprovação do Instituto Nacional para a Educação Especial de Angola, com o patrocínio da Norsk Hydro Angola.

Em comunicado conjunto, as três entidades referem que os equipamentos estarão disponíveis no Centro de Recursos daquele instituto nos Serviços de Apoio ao Estudante Deficiente Visual e em vários estabelecimentos de ensino superior, como a Universidade Lusíada e a Faculdade de Direito de Luanda, assim como na Faculdade de Ciências de Educação de Benguela.

Os equipamentos adquiridos vão servir para a produção de livros em Braille ou com caracteres ampliados e de gráficos em relevo.

O Serviço de Apoio ao Estudante estará dotado de técnicos treinados par a apoiar o aluno no estudo e na pesquisa de informação, com a prestação de apoio pedagógico, avaliação do aluno, leitura de livros e textos de um sistema áudio para o estudante cego.

Para lidar com estes equipamentos, três formandos do Instituto Nacional de Educação Especial serão treinados para funcionarem como técnicos especializados.

Esta notícia já foi consultada 2636 vezes
 
Publicidade