26
Nov
A ausência de informações em língua portuguesa sobre a deficiência visual levou dois amigos, cegos, a criar um portal na internet. Foi em 26 de Novembro de 1999 que António Silva e Daniel Serra iniciaram o projecto. Hoje, o LerParaVer (www.lerparaver.com) faz sete anos com um site remodelado, novos conteúdos e com o orgulho de ser "o portal da visão diferente".

Tudo começou na Universidade do Porto, onde os dois amigos se conheceram. António Silva trabalhava (e trabalha) no serviço de apoio ao estudante deficiente da Faculdade de Letras e Daniel Serra frequentava o curso de gestão na Faculdade de Economia. Na altura, "o LerParaVer foi o primeiro site sobre deficiência visual em Portugal, para além do site institucional da Acapo (Associação dos Cegos e Amblíopes de Portugal)", disse ao JN Daniel Serra.

O portal está vocacionado para deficientes da visão mas disponibiliza informação útil para todos os que se interessam pela temática. "Há notícias actualizadas diariamente, um consultório jurídico para esclarecer dúvidas relacionadas com a deficiência, um consultório de oftalmologia, dicas informáticas, um directório de links", destaca Daniel Serra. Há ainda um espaço onde cegos à procura de emprego podem divulgar os seus currículos. "O problema do emprego é a falta de oportunidade de mostrar que se tem capacidade", defende o gestor de 31 anos.

Importância reconhecida

Promover a infoinclusão com conteúdos específicos sobre a deficiência visual, disponibilizar informação imediata e útil para novos deficientes e sensibilizar para a não discriminação são os três grandes objectivos do LerParaVer. "Para novos cegos, seus familiares e amigos, é uma porta de entrada para uma nova realidade", salienta Daniel Serra. "Contactam-nos com dúvidas sobre como trabalhar com alguns equipamentos específicos ou usar o computador", exemplifica.

A importância que este espaço virtual foi ganhando nos últimos anos levou o POSC (Programa Operacional da Sociedade do Conhecimento) a apoiar financeiramente a reestruturação do site. Agora está "mais organizado, permitindo pesquisa temática e por secções, é mais fácil a publicação de conteúdos por parte dos utilizadores, o design está mais atractivo e tem maior usabilidade e facilidade de navegação", explica o responsável, acrescentando que o LerParaVer regista, em média, mais de mil acessos por dia. "Há tantas visitas de Portugal como do Brasil", refere, o que possibilita um intercâmbio de informações e experiências com base na língua comum.

Quanto ao futuro, Daniel Serra revela algumas novidades. "Queremos criar uma comunidade virtual para estimular a participação das pessoas com deficiência visual" e, assim, contribuir também para a dinamização do LerParaVer. "Em breve teremos uma nova secção com exemplos de algumas pessoas cegas, para mostrar que o cego é normal - casa, tem filhos, exerce uma profissão". Este será uma espaço "de sensibilização", porque, lembra Daniel Serra, "há vida na cegueira".

Jornalista: Sandra Alves
Esta notícia já foi consultada 1980 vezes
 
Publicidade