26
Abr
O novo Magalhães foi apresentado no Fórum Internacional das Telecomunicações, promovido pelo UIT. O computador já foi apresentado no final do ano passado embora, na altura, fosse dado a conhecer através de uma pequena sucessão de imagens. Agora a estratégia é diferente e o segundo Magalhães será colocado em exposição no fórum a decorrer no Centro de Congressos de Lisboa.

A acompanhar o lançamento do computador é apresentado um conjunto de três novos pacotes de aplicações destinadas a um público com necessidades especiais. "Eu quero ver", "Eu quero ler" e "Eu quero comunicar" são os nomes destes packs desenvolvidos pelo Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores e pelo Instituto de Novas Tecnologias.

Todos são compatíveis com o modelo actual e o futuro do Magalhães e são compostos por aplicações de "ampliação do quadro da escola ou do livro de estudo, ampliação e leitura do ecrã do Magalhães por voz humana portuguesa, detecção e impressão de gráficos técnicos em Braille, OCR portátil, reconhecimento de voz do professor ou do aluno quer para ditado quer para operação do Magalhães, módulos de animação gráfica para auxílio à aprendizagem da fala e escrita", entre outras aplicações, explica a JP Sá Couto.

O segundo Magalhães chega ao mercado no último trimestre deste ano e distingue-se do computador actual por incluir uma caneta/rato incorporada, para manual e directamente para o computador, um ecrã de 10,1 polegadas, saída VGA, ranhura interna para ligação 3G/Wimax, capacidade de armazenamento de entre 80 a 160 GB, leitor de cartões 4 em 1 e software de leitura que permite que a criança possa usar o portátil em diferentes ambientes de luz.


[B]Nota do ajudas.pt:[/B] não foi de facto com surpresa que soubemos também, antecipadamente, desta notícia. Limitamo-nos a informar que este ano já oferecemos mais de 20 computadores completamente preparados e adaptados (software e hardware) a crianças com necessidades especiais.
Temos por isso a certeza que cada criança tem efectivamente necessidades diferentes. Esperemos que consigam ter tudo isto em conta. A realidade é muitas vezes bastante diferente do que se quer imaginar, vender ou publicitar.
Esta notícia já foi consultada 1911 vezes
 
Publicidade