5
Mai
O Governo Civil de Setúbal, enquanto entidade coordenadora do Programa “Escola Alerta” no Distrito, vai organizar, no próximo dia 7 de Maio, pelas 15 horas, no Montijo, no auditório do Cine-teatro Joaquim D’Almeida, a cerimónia distrital de entrega de prémios, atribuídos aos projectos que concorreram este ano lectivo.

A organização, a cargo do Governo Civil, conta com a participação da Câmara Municipal do Montijo (anfitriã), das Direcções Regionais de Educação do Alentejo e de Lisboa e Vale do Tejo e da CCDR/LVT. Colaboram, ainda, todas as autarquias com trabalhos a concurso e a PSP – Divisão do Montijo.

Lançado em 2003, o Programa Escola Alerta pretende mobilizar as comunidades educativas para o combate à discriminação de que são alvo as pessoas com deficiência, através da eliminação das barreiras urbanísticas, arquitectónicas e de comunicação, que dificultam ou impedem a sua acessibilidade e o pleno gozo da sua cidadania.

O Programa, que pertence ao Ministério do Trabalho e Solidariedade Social, Secretaria de Estado da Reabilitação, que tutela o Instituto Nacional da Reabilitação, compreende duas componentes – a Componente Reflexão e a Componente Concurso.
Cabe aos Governos Civis a coordenação distrital do Programa, em articulação com o Governo e com as Direcções Regionais de Educação.

Sendo a Escola o espaço privilegiado para a construção de uma sociedade mais igualitária e solidária, o Programa é lançado, em cada Distrito a todos os Agrupamentos e Escolas que pretendam participar, quer integrem crianças ou jovens portadores de deficiência, quer não integrem.
É, também, de promover a participação de Instituições da área da deficiência, conforme prevê o Regulamento.

Setúbal é o Distrito com mais trabalhos a concurso

Este ano o Distrito contou com a participação de 21 escolas e Instituições, em parceria; 23 trabalhos em que colaboraram 546 alunos e utentes e 60 professores e técnicos.
Foi, mais uma vez, o Distrito com mais trabalhos a concurso e atingiu uma dinâmica de participação ímpar no País, que se deveu à mobilização e interesse das comunidades educativas e das IPSS no debate da temática da deficiência de uma forma construtiva, positiva e empenhada.

Esta participação prova que as novas gerações são sensíveis e se mobilizam para causas e valores relativos à cidadania e à participação democrática.
Crianças, jovens, portadores de deficiência ou não, acompanhados pelos seus Professores e Técnicos, produziram trabalhos de reflexão e de intervenção na área da deficiência, abarcando uma ou mais incapacidades, dentro da escola e na comunidade (bairro, rua, freguesia, concelho).

Identificaram barreiras físicas, mas também de atitude e comportamentais; sugeriram soluções para correcção; levaram autarcas, comerciantes, empresários, responsáveis da administração pública a firmar compromissos que melhorassem o espaço físico e social em 10 dos 13 concelhos do Distrito.
Este esforço e dedicação, numa altura em que tanto se discute o papel da escola e das crianças e jovens na sociedade democrática, merece a visibilidade e a mobilização de todos os que vivem, trabalham e lutam no e por este território.

O Distrito de Setúbal está Alerta no combate à exclusão e por uma sociedade com valores e causas.

[B]“Escola Alerta” chegou ao Distrito em 2005/2006[/B]

No Distrito de Setúbal o Programa começou a ser implementado no ano lectivo de 2005/2006. O repto foi lançado a todos os graus de ensino, do pré-escolar ao secundário.
Nesse ano, candidataram-se a concurso 15 trabalhos, que envolveram 12 escolas, 350 alunos e 23 professores, contemplando as duas categorias (1º e 2º ciclos; 3º ciclo e secundário).

Em 2006/2007, o Programa contou, no Distrito de Setúbal, com 24 projectos, correspondentes a 24 escolas e instituições, num total de 435 alunos e 53 docentes e técnicos.

Pela 1ª vez concorreram Jardins de Infância, Cerci’s e APPACDM e, também, pela 1ª vez o Distrito venceu o 1º Prémio Nacional na categoria 2 – Escola Secundária Augusto Cabrita, do Barreiro
No passado ano lectivo, o Distrito orgulhou-se de ter a concurso 45 projectos, correspondentes a 30 escolas e instituições, abrangendo 828 alunos e 72 docentes e técnicos.


Esta notícia já foi consultada 1553 vezes
 
Publicidade