30
Out
 
Conhecer Madrid ao alcance de todos
 
Não deixar ninguém de fora da Rede é a principal filosofia da acessibilidade Web. Na tentativa de melhorar a disponibilização de conteúdos para todos os seus habitantes, a criou uma aplicação de mapas destinada aos cibernautas com dificuldades visuais e não só.

Desde que em 2008, Madrid recebeu a distinção de portal Web mais acessível da Administração Local em Espanha, o município resolveu aproveitar o sucesso para avançar com novas iniciativas neste domínio. Foi daí que nasceu o
, contou ao portal iGOV, Antonio López-Fuensalida, da Direcção Geral para o Desenvolvimento de Tecnologias de Informação da autarquia, ao referir que «o objectivo do desenvolvimento de um Guia Urbano acessível, além de ser um desafio técnico, significava um passo em frente na integração tecnológica das pessoas com necessidades especiais.

Apesar de ser um guia oficial com as ruas de Madrid, que pode ser acedido e consultado por todos através do site da autarquia madrilena, para encontrar uma determinada rua ou ponto de interesse e até para definir percursos, as funcionalidades acessíveis fazem deste um projecto diferente. «O que é realmente inovador neste projecto é que permite o acesso à aplicação mesmo a pessoas com algum tipo de dificuldade especial, incluindo a cegueira total», explica o responsável.

Para estes utilizadores, «a aplicação é capaz de identificar as entidades que são procuradas pelo invisual e converter a informação gráfica em informação textual, para que esta possa ser lida com recurso a um programa auxiliar e ouvida pelo utilizador através de dispositivos áudio», adianta Antonio López-Fuensalida.


Romper barreiras

Para o responsável, o grande objectivo desta iniciativa foi «romper as barreiras de acessibilidade que têm este tipo de sistemas, que pela sua natureza e o tipo de informação que disponibilizam, estão desenhados para pessoas sem dificuldades».

Em termos de tecnologias, o guia acessível de Madrid, desenvolvido e financiado pela própria autarquia e implementado em parceria com as empresas Indra e Technosite, esta pertencente ao grupo de apoio aos invisuais ONCE, baseia-se num Sistema de Informação Geográfica cuja interface foi adaptada para quem tem dificuldades visuais. «Mais concretamente, o desenvolvimento foi feito em J2EE, utilizando tecnologia ESRI como base para a implementação do módulo geográfico», conta Antonio López-Fuensalida.

O responsável admite que o desenvolvimento de um projecto deste tipo, completamente acessível e cumprindo os standards AA do WCAG 1.0, foi «muito complexo», em grande parte pela necessidade de converter uma grande quantidade de informação gráfica e textual em apenas textual e posteriormente em áudio. «Por exemplo, se um cidadão cego quer saber como chegar a um restaurante e quais os transportes para lá chegar, o guia vai identificar o estabelecimento, localizar a sua posição no mapa e através da análise espacial encontrar os transportes indicados», sublinha.

Depois deste cálculo do sistema, a aplicação «processa a informação geográfica em informação textual para cumprir a norma AA de modo a ser lida e transformada em discurso oral».
Dupla inovação

Antonio López-Fuensalida defende que «a inovação introduzida neste projecto é dupla: por um lado, a transformação de informação de natureza gráfica em informação textual; e por outro lado, a navegação através de mapas sem recurso ao rato, que não pode ser utilizado por um certo tipo de pessoas com deficiência».

De acordo com o responsável o projecto foi bem recebido pela comunidade cega de Madrid, que «demonstrou um grande interesse no projecto, dado que implicava dar mais um passo na integração social deste grupo». O guia acessível de Madrid foi também um dos seleccionados para os prémios e-Inclusion 2008, da Comissão Europeia, tendo integrado o grupo de finalistas.

Nome do Projecto:


Entidade Responsável:


Responsável pelo Projecto:
Antonio Lopez-Fuensalida

“É maravilhoso ter ouvidos e olhos na alma. Isto completa a alegria de viver”.
Helen Keller


Publicação por:
(colaboradora permanente do ajudas.pt)
Esta notícia já foi consultada 1611 vezes
 
Publicidade