13
Nov
Para assinalar os dias nacional e internacional da Pessoa com Deficiência, a Secretaria Regional de Educação e Cultura, através da Direcção Regional de Educação Especial e Reabilitação, vai realizar entre 3 e 10 de Dezembro a Semana Regional da Pessoa com Necessidades Especiais.

De acordo com a directora regional de Educação Especial e Reabilitação, Maria José Camacho, que ontem apresentou o programa desta iniciativa no Centro de Apoio à Educação Especial da Ponta do Sol, serão realizadas durante esta semana seis terúlias em diferentes concelhos da Região onde, de uma forma informal, vão ser abordadas as temáticas da deficiência intelectual, da deficiência visual, auditiva e arte inclusiva.

Depois, haverá ainda a estreia de uma peça de teatro pelo grupo de teatro do Núcleo de Inclusão pela Arte que há vinte anos vem colocando em cena diferentes trabalhos.

Serão também realizadas actividades em muitas escolas e estabelecimentos de educação sempre com a tónica da inclusão das pessoas, crianças e adultos com necessidades especiais.

Para além disso, será inaugurada no dia 3 (Dia Internacional da Pessoa com Deficiência), às 17 horas, uma exposição na galeria da Secretaria Regional do Turismo, sendo que esta mostra terá a particularidade de ser composta por trabalhos cedidos por artistas madeirenses e cujas receitas das vendas vão reverter a favor de projectos que os jovens com necessidades tenham para concretizar.

Este foi um trabalho que resultou de uma parceria realizada entre os artistas e os jovens dos centros de actividades ocupacionais. 'Em cada serviço existem as portas abertas para intercâmbios, visitas e trabalhos conjuntos com crianças com e sem necessidades especiais', revelou a directora regional.

Já no dia 9 de Dezembro haverá a entrega de certificados de formação profissional aos jovens que concluíram a formação profissional e a entrega de um prémio de mérito a um empresário que se destacou na inserção de formandos. Neste caso, trata-se de um jovem que foi formando nos centros de actividades ocupacionais e que foi acolhido por uma empresa. Passados alguns anos, esse jovem abriu a sua própria empresa que passou também a integrar pessoas com necessidades especiais.


[B]Uma semana para ser vista como 'um grito de alerta'[/B]

Para o secretário regional de Educação e Cultura, que ontem presidiu à apresentação desta iniciativa, «esta semana servirá para mostrar à sociedade uma realidade com a qual vivemos e com a qual trabalhamos», servindo também para 'dar uma oportunidade a quem trabalha mostrar aquilo que faz por si e com aqueles que são os utentes destes serviços'.

'Uma missão implícita', como passou a explicar Francisco Fernandes, que passa pela integração e inclusão 'e que tem muitas vertentes, nomeadamente social, educativa e profissional, a qual é muitas vezes conseguida através de um conjunto largo de estratégias que durante esta semana terão a sua expressão pública'.
Para o governante, 'o apoio educativo, que tem uma variedade de vertentes em todas as áreas da deficiência - motora, visual, intelectual e auditiva - e que obriga a que se distribuam técnicos, de uma forma exemplar, pelas escolas, bem como a inclusão através das artes, música, o teatro, dança, desporto, artes plásticas e tecnologias, todas estas estratégias se juntam num trabalho que é desenvolvido por mais de 800 pessoas, para um conjunto de utentes que ronda os quatro mil'.

Francisco Fernandes disse ainda que espera que esta semana seja encarada não como 'um lamento' mas sim como 'um grito de alerta e um momento de alegria'.
Já na qualidade de 'padrinho' desta inciativa (uma das novidades do programa da edição deste ano), João Carlos Abreu agradeceu publicamente o convite que lhe foi dirigido, adiantando que espera ajudar a fazer com que «as coisas sejam mais viáveis e as pessoas mais compreendidas e mais amadas».

Lucia Mendonça da Silva
Esta notícia já foi consultada 2458 vezes
 
Publicidade