11
Dez
Quando as pessoas são sujeitas a ambientes demasiadamente limpos e higienizados na infância podem aumentar o risco de inflamação na idade adulta, sugere um estudo da Northwestern University de Chicago, publicado na revista Proceedings of the Royal Society B: Biological Sciences.

Os pais que deixam os filhos brincar à vontade e sujar-se podem assim estar a ajudá-los, protegendo-os contra algumas inflamações e doenças, sobretudo cardíacas, quando adultos.

A equipa de investigadores liderada por Thomas McDade procurou compreender em que medida o ambiente afecta a produção de proteína C-reactiva (ou CRP), que aumenta em caso de inflamação, isto é, quando o corpo reage a uma infecção ou a uma ferida.

Neste âmbito, foram analisados os dados de um estudo realizado nas Filipinas com filhos de 3327 mulheres, nascidos nos anos 80, desde o seu nascimento até aos 22 anos. Estas crianças foram monitorizadas a cada dois meses durante os primeiros dois anos de vida e, depois, a cada quatro ou cinco anos, sendo que a higiene fazia parte dos elementos controlados, fundamentalmente para saber se conviviam com animais domésticos, como porcos ou cães, assim como o rendimento da família.

As amostras de sangue comprovaram que essas crianças filipinas haviam sofrido mais doenças infecciosas do que as americanas. Contudo, como jovens adultos, o seu sangue apresentava uma concentração de CRP 80 por cento inferior à dos americanos da mesma idade, tendendo a mostrar que sofriam menos inflamações. A concentração média de CRP era de 0,2 mg por litro de sangue entre os filipinos contra 1 a 1,5 mg entre os americanos.

«Nos Estados Unidos, há tendência para pensar que se deve proteger a qualquer preço os bebés e as crianças contra micróbios e elementos patogénicos», referiu Thomas McDade. Contudo, esta preocupação priva o desenvolvimento saudável do sistema imunitário até à idade adulta.
Esta notícia já foi consultada 1618 vezes
 
Publicidade