12
Mar

Cinquenta alunos com necessidades educativas especiais vão estudar no presente ano lectivo, na escola Pamosi, nos arredores da cidade do Huambo.

Falando à Angop, a directora da escola, a missionaria brasileira Rosângela Teck informou que os mesmos estão matriculados desde a iniciação até a 8ª classe, devendo serem instruídos por um corpo docente especializado em transmitir conhecimentos através de linguagem gestual.

Os docentes, explicou, recorrem a leituras labiais e outros sinais, para comunicar e facilitar aprendizagem dos estudantes.

Sublinhou que 40, dos 50 alunos inscritos são surdos profundos, enquanto os demais são deficientes visuais.

Além de aprenderem a ler e escrever, também frequentam cultos naquela igreja, na maioria das vezes acompanhados dos familiares, acrescentou.

Rosângela Teck disse que, em relação ao ano lectivo 2009, houve aumento de alunos, devido ao facto de a escola oferecer um ensino mais direccionado e melhor qualidade para os estudantes com necessidades educativas especiais.

Disse ainda que a escola, apesar de algumas dificuldades, tem material didáctico suficiente, lembrando que os professores participaram recentemente de uma acção de refrescamento sobre técnicas eficientes de ensino especial.

A escola existe há quase dez anos e conta com o apoio do Ministério da Educação, quer na formação de professores, quer na aquisição materiais.

Além da Pamosi, expressão umbundo que na língua portuguesa significa juntos, a província do Huambo conta com mais duas escolas dedicadas ao ensino especial, sendo uma estatal e outra afecta a Igreja Católica.


Esta notícia já foi consultada 2042 vezes
 
Publicidade