25
Nov
Na nota publicada na Brochura “EDUCA ANGOLA 2010”, o Ministro da Educação referiu que o evento tinha como objectivo estratégico “mostrar que os Sistemas de Educação e Formação são responsáveis pela formação dos actores que produzem bens e serviços úteis à manutenção do sistema social, através da sua reprodução e da sua inovação”.

Esta primeira edição da Feira “EDUCA ANGOLA”, inaugurada nas vésperas do 35º Aniversário da Independência de Angola, serviu também para a apresentação de projectos inovadores, com a utilização das Tecnologias de Informação e Comunicação para enfrentar os enormes desafios de reconstrução e desenvolvimento do país, sendo de destacar os das seguintes instituições:

INEE – Instituto Nacional para a Educação Especial: Projecto “Língua Gestual Angolana”, desenvolvido com a colaboração de técnicos cubanos;

IZONGA COMERCIAL: esta empresa do Sector da Tecnologia de Informação marcou a sua presença na Feira com a apresentação de diversos projectos inovadores para a educação, a saber:

• Centro de Recursos para a produção de livros em formatos alternativos (Braille, em Caracteres Ampliados);

• Centro de Produção de Audiolivros para a produção de audiolivros DAISY;

• Centro de Recursos e de Trabalho para o apoio ao Estudante Deficiente Visual;

• Centro de Treinamento de Fala com Audiómetros e Treinadores de Fala;

• Projecto de Educação Cívica e Cidadania “Quero Ser Presidente”;

• Projectos de Desenvolvimento de Software Educativo.

Instituto Nacional de Telecomunicações: Projecto “Sistema de Alta Segurança Bancária” que permite a “detecção de entrada de um invasor no Banco”;

CNTI - Centro Nacional das Tecnologias de Informação:

O Centro Nacional das Tecnologias de Informação, Instituto Público de prestação de serviços com caracter científico e desenvolvimento tecnológico, tutelado pelo Ministério das Telecomnicações e Tecnologias de Informação apresentou diveros projectos inovadores, entre os quais:

Projecto “DataCenter” que visa “criar uma infraestrutura sólida, com elevado grau de disponibilidade, confiabilidade e segurança para o apoio ao Projecto de Governação Electrónica”.

Projecto “Portal do Conhecimento” cujo o objectivo é “estabelecer um espaço aberto a toda a classe técnica e académica para a divulgação de trabalhos científicos e proporcionar a interacção da comunidade científica com os empresários, os gestores públicos e comunidade em geral”.

Projecto “Centro Solar” constiuído por um “Sistema Informático composto por equipamentos em rede, alimentados por meio de painéis fotovoltáicos, para ser instalado nas escolas, nos centros comunitários ou noutros locais com carência de energia eléctrica”.

Os diversos projectos apresentados na Feira pelo Centro Nacional das Tecnologias de Informação demonstram o reconhecimento, pelo Governo angolano, das Tecnologias de Informação e Comunicação como um “importante elemento indutor de desenvolvimento económico e social, um motor da luta contra a pobreza e a exclusão social e um catalizador para a edificação da Sociedade de Informação e do Conhecimento em Angola”.


Autor: RAFAEL CALANDOU



Esta notícia já foi consultada 4541 vezes
Outras notícias relacionadas
 
Publicidade