21
Abr

A vice-presidente da Fundação Lwini, Joana Lina, disse hoje (terça-feira) em Luanda, que o recordista mundial, José Armando Sayovo, constitui motivo de orgulho nacional.

Joana Lina falava à imprensa, no Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, momentos após o desembarque da caravana paralímpica angolana, que participou no IV Mundial de Atletismo para deficientes visuais que decorreu na Turquia, onde arrebatou cinco medalhas.

“A Fundação Lwini está aqui para testemunhar mais uma proeza do Sayovo e seus colegas. Para nós é um motivo de orgulho nacional, é muito marcante estarmos aqui presentes em representação de todos, para agradecer por esta alegria que ele está a dar ao desporto nacional e a sociedade”, frisou.

Segundo Joana Lina, Sayovo demonstra que, não obstante ser portador de deficiência, pode chegar a altos patamares, o que é gratificante para os angolanos.

Entre os feitos de Sayovo, se destacam, em 2001 três medalhas de ouro nos 100, 200 e 400 metros no campeonato africano para várias categorias de deficiências disputado no Cairo, Egipto, numa marcha até agora quase imparável.

Em 2004, nos Jogos Paralímpicos de Atenas (Grécia), o velocista arrebatou o ouro nos 100, 200 e 400 metros, bem como as medalhas de ouro no mundial de Quebec (Canadá) em 2003, nos 400 metros.

Treze anos depois de se iniciar na prática desportiva, Sayovo conquista duas medalhas de ouro e um de prata no IV Mundial da Turquia.


Esta notícia já foi consultada 2861 vezes
 
Publicidade