19
Mai

O coordenador da Liga de Apoio a Integração de Deficientes (Lardef) no Huambo, Luís Quintas Xavier, reconheceu hoje, terça-feira, nesta cidade, já se verificar actualmente uma mudança de comportamento da sociedade em relação à problemática dos deficientes, resultante das acções de sensibilização realizadas pela sua instituição.

Falando à Angop, a propósito da inserção socioeconómica dos portadores de deficiência na província do Huambo, o responsável da Lardef admitiu que tal mudança de comportamento reflecte-se não apenas no seu ingresso no mercado de emprego, mas também na consciencialização que as pessoas demonstram no concernente ao respeito das suas garantias e direitos.

“Fruto dos seminários e debates que temos realizado com objectivo, de acelerar a implementação das políticas de integração das pessoas com deficiência, temos estado a notar alguns avanços na consciencialização das empresas, assim como dos cidadãos”, reconheceu.

Segundo Luís Quintas Xavier, é importante a sociedade estar devidamente preparada para que as pessoas com deficiência possam gozar os seus direitos e exercer plenamente a sua cidadania, uma vez que cada cidadão está sujeito a contrair qualquer deficiência.

Apontou, entretanto, a falta de meios de compensação (triciclos, cadeiras de rodas e muletas), as barreiras arquitectónicas, entre as quais os passeios altos e ausência de rampas na via pública, como os principais constrangimentos que as pessoas com deficiência ainda enfrentam no seu quotidiano.

“Por esta razão notamos que os deficientes encontram sempre dificuldades em atravessar as ruas, enquanto que muitos não conseguem se locomover sem depender de outras pessoas”, lamentou.

Para o coordenador da Lardef no Huambo, as pessoas com deficiência, apesar das suas limitações, não devem ser vistas como inválidas, mas, sim como cidadãos que também podem contribuir para o desenvolvimento socioeconómico da sociedade.

A Liga de Apoio à Integração de Deficientes, criada em 1997, visa, entre outros objectivos, promover, representar e defender a participação, os direitos e interesses das pessoas portadoras de deficiência, elaborar e desenvolver programas, projectos e acções que garantam a igualdade de oportunidades para as pessoas portadoras de deficiência e promover e participar na integração plena das pessoas com deficiência.

São também objectivos da Lardef, o apoio à criação de pequenas e médias empresas, bem como oficinas individuais sob titularidade de pessoas portadoras de deficiência promovendo o seu emprego, criar projectos geradores de rendimento para a sustentabilidade financeira e organizativa da Organização, cooperar com entidades públicas e privadas na definição de uma política de educação, formação, emprego, saúde e assistência em geral, com vista a promoção e efectiva igualdade de oportunidades para as pessoas portadoras de deficiência.

Esta notícia já foi consultada 3486 vezes
 
Publicidade