18
Jun
A presidente do Conselho Geral da Fundação Lwini, Ana Paula dos Santos, considerou sexta-feira, em Luanda, que a organização completou 13 anos de existência cheia de vitalidade e maturidade.

Ana Paula dos Santos sublinhou o facto numa mensagem publicada na brochura da 4ª Gala Internacional de beneficência Lwini, decorrida no Parque das Palmeras (Ex.Heróis de Chaves).

“Estamos a celebrar a 4ª Gala. É para nós um momento de vitória. Aceitamos. E atribuímos tudo isso a um começo que não quer parar. o grupo alvo do nosso trabalho está a espera de outros passos. E quando aceitamos um repto assumimos as suas responsabilidades”, apontou.

Esta gala, referiu, é só uma maneira diferente de registar parte do que se faz, porquanto tudo que se faz tem respaldo no compromisso que se firma.

“Nos últimos quatro anos, aumentamos a nossa capacidade de resposta, diversificamos o nosso foco e contribuímos mais e melhor, no apoio aos jovens, mulheres e crianças. Estamos conscientes da nossa responsabilidade e tudo isso só é possível graças à pronta colaboração de todos os parceiros da Fundação Lwini(…)”, asseverou.

De mencionar que, na Gala, a também instituidora do Fundo Lwini, Ana Paula dos Santos, recebeu da marca David Black (criador angolano de colecções de jóias) uma estatueta da Palanca Negra em prata.

Participaram da gala de beneficência Lwini o Presidente da República, José Eduardo dos Santos, e o vice-presidente da República, Fernando da Piedade Dias dos Santos.

A Fundação Lwini completa no dia 30 deste mês treze anos de existência, dedicando-se à causa dos mais necessitados, dentre os quais portadores de deficiência, crianças e mulheres.

Esta notícia já foi consultada 3815 vezes
 
Publicidade