7
Set
 
Crianças com deficiência auditiva abandonam a escola por dificuldade de transporte
 

Mais de vinte alunos com deficiência auditiva interromperam os estudos no inicio do ano lectivo, devido às dificuldades de transportes. Esta situação foi registada pelo colégio privado do ensino especial, Mártires do Uganda, situado no bairro Benfica, município da Samba, em Luanda.

Guilherme Ikela apontou como dificuldades para o ensino dos deficientes auditivos, a falta de um padrão de língua gestual, onde são encontradas as interpretações para algumas palavras técnicas e cientificas, desconhecidas por intérpretes angolanos, como nas disciplinas de biologia, química, física e outras.

Explicou que palavras como “município” deviam ser interpretadas com apenas um gesto, mas por falta de um modelo definido, os intérpretes soletram a palavra de acordo o alfabeto gestual, o que se torna muito embaraçoso.

O intérprete defende a criação de uma comissão, integrada por técnicos do ministério da Educação e da Cultura, para a definição de termos gestuais, à semelhança de outros países, facilitando deste modo, o acompanhamento dos alunos até o ensino superior.

Fundada em 2003, o colégio Mártires do Uganda controla 83 alunos no ensino primário da pré á 6º classe e quatro do secundário, sendo três da 7º e uma na 8º classe.




Esta notícia já foi consultada 4528 vezes
 
Publicidade