12
Dez
A secretária de Estado Adjunta e da Reabilitação apelou hoje à necessidade de aliar o turismo à acessibilidade uma forma de criar oportunidades de negócio e de responder às necessidades de pessoas com mobilidade condicionada.

“O conceito de desenho universal está neste momento a chegar ao turismo porque além de fazer cumprir os direitos de pessoas com deficiência começa a ser também uma oportunidade de negócio ao poder desenvolver um conjunto de serviços que vão de encontro às necessidades das famílias” afirmou Idália Moniz à agência Lusa à margem de um seminário promovido pelo Turismo de Portugal subordinado ao tema “Novas Perspectivas para o Turismo: A Acessibilidade Universal como Referencial de Qualidade'.

“Se houver um hotel que permita a uma família levar consigo o seu dependente tendo um serviço de qualidade seguro e que partilhe responsabilidades este é um factor que pesará na altura dessa família decidir” acrescentou a responsável sublinhando que “investir em melhor acessibilidades é então um factor que contribui para o aumento do negócio no sector turístico um dos mais fortes no tecido empresarial”.

Na data em que se assinala o Dia Nacional dos Direitos Humanos Idália Moniz sublinhou ainda o aumento do número de praias acessíveis no país que passou de 60 praias para 159 valor registado no final da época balnear de 2009.

A governante disse também que o papel do Estado neste tema passa por “definir uma estratégia para que o desenho universal possa ser desenvolvido na área do turismo criar linhas de financiamento para que as estratégias possam ser desenvolvidas e apelar à reflexão para que se perceba que os problemas de acessibilidade são problemas de todos os cidadãos”.

Neste seminário realizado hoje na Escola de Hotelaria e Turismo do Estoril estiveram ainda presentes o presidente da Câmara Municipal de Cascais António Capucho e Jorge Umbelino vogal do conselho directivo do Turismo de Portugal.

Para o autarca de Cascais o turismo é uma das “traves mestras do desenvolvimento económico do concelho” e por isso considera fundamental que se criem instalações hoteleiras que proporcionem uma acessibilidade mais fácil a todos.

António Capucho anunciou ainda que “a Câmara de Cascais irá elaborar um estudo científico com especialistas internacionais que permita um diagnóstico sobre a acessibilidade do concelho de forma a definir um plano de integração adequado”.

O seminário tem como objectivo transmitir conhecimentos e experiências que reforcem a atenção para as pessoas com deficiência ou incapacidade
Esta notícia já foi consultada 1723 vezes
 
Publicidade