28
Dez
Universidade de Vila Real recebe 13 toneladas de material doado pela Fundação AGAPEO Centro de Engenharia de Reabilitação da Universidade de Vila Real recebeu 13 toneladas de material para pessoas com deficiência e idosos doados pela Fundação sueca AGAPE, destinados à criação de um banco para empréstimo à comunidade.

Francisco Godinho, responsável pelo Centro de Engenharia de Reabilitação e Acessibilidade (CERTIC) da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), disse à agência Lusa que o material é descarregado esta tarde. São 360 produtos de apoio e 230 acessórios ou peças de equipamentos.

Segundo o responsável, a maior parte do material destina-se à mobilidade pessoal, como cadeiras de rodas, acessórios para cadeiras de rodas, elevadores de transferência elétricos, andarilhos, equipamentos para treino de marcha, canadianas, e ainda para a higiene pessoal, desde cadeiras sanitárias, assentos elevados de sanita.

Foi também doado mobiliário adaptado para a habitação, nomeadamente camas articuladas, colchões anti-escara.

O material foi recolhido pela AGAPE em centros de tecnologias de apoio da costa oeste da Suécia, onde se encontra sediada a fundação.

Francisco Godinho referiu que os produtos ajudarão à criação de um serviço de empréstimo de produtos de apoio à comunidade do distrito de Vila Real, o Banco Local de Produtos de Apoio.

"É uma ideia que nós já tínhamos há muito tempo para situações temporárias. Muitas vezes o tempo que uma pessoa precisa para pedir um financiamento desses por parte do Estado é demasiado longo porque a necessidade é imediata", salientou.

A ideia é, acrescentou, permitir que quem tem poucos recursos financeiros possa ter uma resposta imediata a nível local, com o empréstimo dos materiais sem nenhum custo.

O banco deverá estar disponível a partir de março e irá incluir outros produtos existentes no CERTIC nas áreas das Tecnologias de Informação e Comunicação (interfaces de acesso ao computador, computadores, sistemas alternativos de comunicação) e da recreação e lazer (brinquedos, equipamentos de lazer e jogos adaptados).

Muitos destes produtos de apoio do CERTIC foram concebidos e adaptados pelos alunos da UTAD.

Entretanto será criado um portal na Internet com a informação sobre os produtos disponíveis e condições de acesso.

O CERTIC quer ainda incentivar a criação de uma rede de bancos a nível distrital, em articulação com outras instituições, para aumentar a capacidade de resposta.

O material doado será também utilizado em atividades de investigação e para a melhoria das condições de acolhimento de estudantes com deficiência na UTAD, nomeadamente ao nível das residências universitárias.

O valor estimado pela AGAPE dos produtos doados ronda os 40.000 euros.

Segundo Francisco Godinho, o transporte destes equipamentos para Portugal foi realizado pela empresa DSV Transitários Lda, após uma consulta ao mercado e custou 3.800 euros, verba suportada pelo CERTIC e pelo curso de Engenharia de Reabilitação.

No verão, a fundação foi arrastada numa polémica relacionada com suspeitas de burla que alegadamente envolvia o emigrante português Carlos Quaresma, o qual durante anos intermediou os donativos da fundação.

Atualmente, a AGAPE tem apenas duas parcerias institucionais em Portugal, resultantes de um processo de reestruturação de contactos para o país que teve lugar no último semestre: a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa e o CERTIC.

PLI // MSP

Lusa/Fim

Esta notícia já foi consultada 37820 vezes
 
Publicidade