23
Dez
REVISTA DA PIN-ANDEE . (vol 4 - nº2) dez 2013
Capa gentilmente cedida por Natalina Coias. Recensão escrita por Elvira Cristina Silva sobre o Livro de Sandra Morato - "Sara, a Luz" - Primebooks, 2010

"(...) Sara, significa princesa, em hebraico, mas independentemente do significado directo, todos os filhos são os nossos príncipes e princesas.

É nisso que investem os pais, os que o são verdadeiramente. Porque "um filho é sempre uma bênção, independentemente das circunstâncias em que chega."(pág 85).

O nascimento da Sara e a sua problemática cromossómica foi a luz para este testemunho escrito na primeira pessoa por Sandra Morato. Num relato de leitura fácil, mas de informação rica, este livro pretende contribuir para desencadear uma eficaz mudança de atitudes.

Quase como um diário, relata episódios pouco inclusivos de falta de informação, de pessoas que blasfemam, situações vividas com os serviços de saúde, assim como os apoios inesperados (...) "fora das paredes interiores de casa, que portas e janelas se abrem do nada, sem esperarmos, sem sequer imaginarmos (pag. 67). "Aborda o impacto nos filhos, focando a utilização de estratégias que são parte integrante do processo.

Possui informações sobre as características da problemática, características reais, que independentemente de um cromossoma a mais ou a menos, são as de todas as crianças. Uma viagem com destino desconhecido, mas de experiência inesquecível ao descobrir capacidades "para além das especificidades".

Menciona ainda assuntos legais e especificação de apoios diversificados bem como contactos de associações, para além de um recado final do que pretende com a sua obra. Um livro escrito com voz e coração de mãe, que intenta ser uma ferramenta rumo a um futuro mais inclusivo com respeito e valorização pela diferença. A aceitação sem limites, a recusa em desistir e o acreditar sempre, onde é notória a força dos afectos familiares que tudo conseguem face à discriminação e indiferença.

Quanto mais testemunhos como estes forem concebidos, maior será a consciencialização da sociedade para o valor da diferença, contribuindo para um caminho que excluirá o preconceito, reivindicando acessibilidades e oferta de oportunidades que contribuam efectivamente para a igualdade de direitos de todos os cidadãos. Dar voz às famílias é essencial e premente numa sociedade que se deseja inclusiva. Famílias com quem temos muito que aprender e só podemos (devemos) cada vez mais respeitar.
Elvira Cristina Silva (...)"

Sandra Reis Morato
Esta notícia já foi consultada 20742 vezes
 
Publicidade